Temas obrigatórios: colonização ideológica

Caros amigos,

A partir deste ano letivo a doutrinação ideológica nas escolas vai intensificar-se.
A disciplina de Educação para a Cidadania lança como um dos seus temas obrigatórios, a ser tratados ao longo de toda a escolaridade, o conceito de género. Género defende uma ideologia não binária da sexualidade, remetendo para a defesa da ideia de que se nasceria neutro em termos sexuais e, por isso, não devem ser ensinados papéis específicos, pronomes, vestuário ou dados brinquedos diferentes a meninos e meninas. Promovem a indefinição em idades em que crianças e jovens estão em desenvolvimento e cheio de incertezas. Será fácil levar um jovem inseguro a pensar que as inseguranças que acompanham o seu crescimento são devidas ao facto de o seu sexo biológico não traduzir o seu género. Daí à ideia de se sentir aprisionado num corpo ” errado ” demora pouco e, depois, pode passar à decisão de tomarem bloqueadores químicos cujas consequências para a saúde e corpo são irreversíveis.

Não vos quero alarmar, mas já existem movimentos no sentido de juntar às diferentes orientações sexuais possiveis, a pedofilia. Vejam esta Ted Talk: https://www.youtube.com/watch?v=cy4AUzsGbfE

Algumas pessoas preocupadas resolveram agarrar um projeto já existente e dar-lhe um novo folego com o objetivo de ser uma alternativa séria e eficaz ao que se vai passar nas escolas.

Trata-se do programa Protege o Teu Coração que podem conhecer melhor no dia 29 de Setembro em duas modalidades:

Seminário de Formação para pais e professores no dia 29 de setembro 2018, 9.30h-13.30h, Telheiras, com Juan Francisco Velez e Maria Luisa Estrada!
https://www.facebook.com/events/2206329442941504/

Conferência no dia 29 às 21h, aberta ao público:
https://www.facebook.com/events/251557155500836/

Precisamos de todos os instrumentos que possam dar a conhecer a beleza do projeto de Deus para o amor humano!

Pela direção da Associação CERTA,
Maria José Vilaça

Anúncios

Algo estranho

Há muito tempo que não escrevo aqui. Para memória futura, não deixo de anotar imagens e palavras estranhas no encontro mundial das famílias, em Irlanda, onde, em 2009, tomei contacto com a maravilha da Teologia do Corpo.

E agora, em 2018, o que vemos?

  • uma mascote que é uma ovelha (!!!), inventada por alguém que está a trabalhar intensamente na segunda temporada de Vampirina at Brown Bag Films. Dispenso-me de apresentar esta Vampirina e o seu significado na série, nada benéfico para a alma das crianças e das famílias. E quanto estas séries absorvem a atenção das crianças!
  • um discurso de fr. James Martin que mais parece um comício de apoio a todos os pecados contra a criação, contra a redenção, contra a santificação do homem e da mulher, do matrimónio e da família.
  • a parte (=ambiguidade) de um logotipo que percorre todas as plataformas, desde o ícone do site oficial, aos cenários e documentos impressos, até aos próprios paramentos usados na santa Missa. Trata-se da tripla espiral, serpente, ou perna, mais associada ao paganismo e ao neopaganismo do que querem fazer parecer.

Na verdade “Depois de tirar todas as que são suas, vai à frente delas, e as ovelhas seguem-no, porque reconhecem a sua voz. Mas, a um estranho, jamais o seguiriam; pelo contrário, fugiriam dele, porque não reconhecem a voz dos estranhos” (Jo 10,4-5).

Worpress

O WordPress impôs a todos os seus utilizadores um arco íris na barra superior da página de administração dos artigos por causa da decisão do supremo tribunal dos USA, de 26/6/2015. Os topicos no fórum de ajuda sobre o assunto foram fechados liminarmente.

The most important person on earth‏

“The most important person on earth is a mother. She cannot claim the honor of having built Notre Dame Cathedral. She need not. She has built something more magnificent than any cathedral—a dwelling for an immortal soul, the tiny perfection of her baby’s body. The angels have not been blessed with such a grace. They cannot share in God’s creative miracle to bring new saints to Heaven. Only a human mother can. Mothers are closer to God the Creator than any other creature;  God joins forces with mothers in performing this act of creation. . . What on God’s good earth is more glorious than this; to be a mother?” Joszef Cardinal Mindszenty